A ESQUERDA MOSTROU FORÇA NAS RUAS, MAS É PRECISO MAIS

É preciso trazer novos atores para as manifestações fora Bolsonaro e mudar seu formato, agregando artistas, personalidades e eventos culturais, além de apresentar temas que de fato mobilizem os brasileiros comuns, como por exemplo a carestia.

A conjuntura mudou a abriu as portas para a volta de velhos predadores sociais ao palco da política.

O fato mais importante de uma semana cheia de acontecimentos políticos relevantes foi a reunião dos partidos do arco progressista, para estabelecer uma atuação conjunta. Dirigentes de PT, PSOL, PC do B, PSB, PDT, Rede, PV, Cidadania e Solidariedade se reuniram em Brasília, na última quarta-feira, dia 15, quando combinaram convocar conjuntamente manifestações, para pedir o impeachment de Bolsonaro. Os eventos estão marcados para o dia dois de outubro e 15 de novembro, datas que constavam do movimento Fora Bolsonaro, que além de partidos reúne também movimentos e centrais sindicais.

Interlocutores do encontro comentaram com jornalistas que pretendem sondar outros partidos e organizações como o MBL e o VPR, que realizaram uma manifestação no último dia 12 de setembro. Além disso, participantes da reunião manifestaram o desejo de que a frente que começa a ser articulada reedite a aliança que levou para as ruas a campanha Diretas Já.

Segundo estas fontes, provavelmente problemas políticos e ideológicos irão impedir que todo o leque de opositores ao governo Bolsonaro participe das manifestações do dia dois de outubro, porém as conversas prosseguem e eles preveem um evento muito mais robusto em 15 de novembro.

É fácil de calcular porque ampliar a frente antibolsonarista é importante. Se for aberto hoje o processo de impeachment contra Bolsonaro, a proposta certamente será rejeitada, o que fortalece o gangster na presidência. É preciso ampliar a oposição ao miliciano na Câmara Federal, para que seu afastamento possa ocorrer.

A grande maioria dos deputados que hoje votam contra o impeachment não são bolsonaristas, pois não passam de predadores sociais. O objetivo deles na política é o enriquecimento pessoal, assim a expectativa deles é sugar o governo até o limite do possível. A data estabelecida pela maioria deles, para avaliar o divórcio com Bolsonaro (para utilizar um termo comum na boca suja do gangster) é abril de 2022, quando começa o calendário eleitoral e os governos não têm mais liberdade para manejar seu orçamento.

É PRECISO REMOVER BOLSONARO AGORA

No entendimento dos partidos que participaram da reunião em Brasília, não é possível esperar até tão tarde, pois Bolsonaro, enquanto isso, vai ampliando os estragos da tragédia que se abate sobre o Brasil.

Não será tarefa fácil a remoção do gangster no Palácio do Planalto, pois aos poucos os termos do acordo intermediado por Temer vão aparecendo.

No mesmo dia 15 de setembro, quando os partidos se reuniam, o ministro Alexandres de Moraes pediu vistas, suspendendo o julgamento da constitucionalidade do Marco Temporal, que se aprovado pode liberar de maneira cruel a pilhagem do que resta das terras indígenas. Moraes também suspendeu a prisão preventiva do produtor de fakenews Oswaldo Eustáquio, que havia fugido com o estranho personagem autodenominado Zé Trovão, o caminhoneiro sem caminhão; além de relaxar a prisão do deputado Daniel Silveira.

Outro sinal do acordo apareceu no senado, quando o presidente da casa, o senador mineiro Rodrigo Pacheco, declarou que é preciso manter Bolsonaro até o fim do seu mandato, em 2022.

Enquanto isso, o gangster na presidência se dedica a tentar recompor sua base. A estratégia bolsonarista, para recuperar forças, ocorre principalmente em duas frentes: novas bondades dirigidas às polícias militares, como o plano habitacional para a categoria; e o estímulo à recuperação da moral dos seus seguidores, insistindo na versão que foi ele grande ganhador do acordo mediado por Temer.

No entanto, o maior sinal do lado do miliciano de que houve um acordo é o mais longo período no qual ele não faz nenhum ataque a qualquer instituição. Em entrevistas e no curralinho, aonde Bolsonaro vai todos os dias em busca da bajulação de seus adeptos, ele chegou a dizer que “a harmonia entre poderes é o desejo nacional”. Há apostas sobre quanto tempo a boca do boquirroto continuará fechada.

Como em todos os combinados nada republicanos e criminosos que costumam acontecer nas trevas de Brasília, é provável que o país nunca fique sabendo, o que houve no submundo da política brasileira, nos tenebrosos dias entre o Sete de Setembro e o dia 10 do mesmo mês.

O DESTINO DO BRASIL ESTÁ SENDO DEFINIDO  

De qualquer forma a totalidade dos analistas de esquerda e direita concordam que o ambiente mudou. Autoridades que antes assumiam posições medrosas, porém indicando a possibilidade da remoção de Bolsonaro, anunciam a importância de sua continuidade até o final do mandato – como é o caso de Rodrigo Pacheco.

É perceptível também a intensificação da movimentação pela terceira via, o que pode ser constatado por editoriais da mídia do baronato, Folha de São Paulo e Estado de São Paulo à frente; assim como pelo jantar dos vampiros na casa do especulador e sempre suspeito Naji Nahas.

Será preciso atropelar o acordo entre as milícias, os predadores sociais da política e o segundo escalão das oligarquias brasileiras – representado pelos vampiros presentes no jantar na mansão de Naji Nahas –, com um grande movimento de rua, semelhante ao Diretas Já, que galvanizou a sociedade brasileira em 1984. Para isso é preciso ampliar e muito a multidão presente nas manifestações contra Bolsonaro, o que a esquerda é incapaz de fazer sozinha.

É preciso trazer novos atores para as manifestações fora Bolsonaro e mudar seu formato, agregando artistas, personalidades e eventos culturais, além de apresentar temas que de fato mobilizem os brasileiros comuns, que no seu cotidiano não se preocupam com a política, como por exemplo a carestia.

O destino do Brasil será decidido a partir dessas mobilizações, desde que elas sejam muito maiores do que aquelas, que a esquerda se mostrou capaz de fazer isoladamente.    

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s